SIENP
Simpósio Internacional de Estomaterapia do Noroeste Paulista

  • 26 a 17 de abril de 2018
    Vol. 4, abril ISSN: 2526-7078
  • São José do Rio Preto, SP - Brasil
    Teatro UNIP (Campus JK)
  •  
    Trabalho

    Tema: Feridas

    Caracterização sociodemográfica de pacientes com feridas complexas atendidos em uma rede primária de saúde

    REGINA QUEIROZ GONÇALVES , Adriano Menis Ferreira, Renilda Rosa Dias, Regis Queiroz Gonçalves, Marcelo Alessandro Rigotti, Willian Alburquerque de Almeida

    Introdução No Brasil, o envelhecimento acontece de forma rápida em um contexto de desigualdade social, com precário acesso aos serviços de saúde, sem a estruturação necessária(1). A população brasileira passou por mudanças referentes ao aumento da expectativa de vida, o que acarreta, a um aumento expressivo da incidência e prevalência das lesões cutâneas(2) A pele está sujeita a sofrer agressões decorrentes de fatores intrínsecos e/ou extrínsecos levando a ações em sua constituição, como as feridas complexas. No contexto ambulatorial, o Brasil é incipiente em estudos epidemiológicos que abordam as características sociodemográfica de indivíduos com feridas e mesmo nos centros de referência há deficiência de estudo sistematizado sobre o tema. Objetivo Caracterizar o perfil sociodemográfico dos pacientes com feridas, atendidos na Rede Primária de Saúde de Três Lagoas/MS. Metodologia Estudo transversal, descritivo-exploratório, com abordagem quantitativa. A amostra foi não probabilística por conveniência, composta por 53 pacientes com feridas de diversas etiologias, norteadas pelo diagnóstico médico. Os entrevistados foram abordados nas Unidades da Rede Primária de Saúde e durante as visitas domiciliares às pessoas com lesões crônicas em um município do interior do estado de Mato Grosso do Sul. Para a operacionalização da entrevista usou-se um roteiro estruturado, validado por especialistas da área(3). Resultados As mulheres representaram 52,8% (28) dos entrevistados os homens, 47,2%. A senilidade foi encontrada em 36 pessoas, equivalendo a 70% da amostra. Com relação ao estado civil, 32 dos 53 entrevistados (60,3%) não tinham parceiro, seja casado, ou união estável. A maioria, 36 (67,9%) referiram ter renda mensal inferior ou igual a 1 salário mínimo 11 (20,7%) oscilam entre 1 a 2 salários mínimos. Ainda, 40 (75,5%) constituíram um grupo sem escolaridade e com ensino fundamental. Conclusão A pesquisa revelou dados sociodemográficos importantes dessa população, colaborando com o melhor entendimento sobre a condição dessa clientela e fornecendo dados para as políticas de saúde.

    Palavras-chave: Caracterização Sociodemográfica Feridas Rede Primária


    1. Abbade LPF, Lastória S. Abordagem de pacientes com úlcera da perna de etiologia venosa. Anais Brasileiros de Dermatologia, São Paulo, SP, v. 81, n. 4, p. 509-522, 2006.
    2. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Departamento de Atenção Básica. Manual de condutas para úlceras neurotróficas e traumáticas. Brasília: Ministério da Saúde, 2002.
    3. Martins MA. Avaliação de feridas crônicas em pacientes atendidos em Unidades Básicas de Saúde de Goiânia. 2008. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Faculdade de Enfermagem, Universidade Federal de Goiás/UFG, Goiânia, 2008.
    Garanta já
    a sua vaga
    QUERO ME
    INSCREVER AGORA
    Compartilhe esse Evento
    PROMOÇÃO E REALIZAÇÃO


    PATROCINADORES

    APOIO CIENTÍFICO

    APOIO INSTITUCIONAL