SIENP
Simpósio Internacional de Estomaterapia do Noroeste Paulista

  • 26 a 28 de abril de 2018
    Vol. 4, abril ISSN: 2526-7078
  • São José do Rio Preto, SP - Brasil
    Teatro UNIP (Campus JK)
  •  
    Trabalho

    Tema: Feridas

    Perfil dos portadores de lesão de pele atendidos em um hospital público no sul da Bahia

    EMANUELA CARDOSO DA SILVA, Flávia Leite da Hora, Isaac Guimarães dos Santos, Paula Aparecida Soriano de S. J. Rodrigues, Lacita Menezes Skalinski

    As lesões de pele, de diferentes etiologias, são um tipo de acometimento muito comum entre a população que utiliza os serviços de saúde. Estudos voltados para o perfil dessa clientela fornecem informações importantes para o planejamento de ações assistenciais, educação permanente em saúde, previsão e provisão de recursos materiais e humanos e de ações de promoção e prevenção, mas, infelizmente são escassos na literatura nacional, o que justifica a realização deste trabalho. O objetivo do estudo foi conhecer o perfil dos portadores de lesões de pele atendidos em um hospital público no sul da Bahia. Tratou-se de um estudo quantitativo e descritivo realizado em um hospital público no sul da Bahia e aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa. A população do estudo foi de pacientes portadores de lesões de pele internados nas clínicas médica, cirúrgica e UTI. A coleta de dados foi realizada entre julho e dezembro de 2013, através de aplicação de formulário. Os dados foram armazenados e analisados no Epi Info versão 3.4.5. Foram entrevistados 93 pacientes, sendo 59% do sexo masculino, 42 % residentes em Itabuna- BA, de faixa etária predominante entre 50 e 74 anos (34%), raça parda (40%) e ensino fundamental incompleto (46%). A renda mensal para 75% dos entrevistados foi de 1 a 3 salários mínimos. A maioria vivia em residência própria (81%), construída de tijolo (90%), dotadas de rede de esgoto (84%), com abastecimento de água canalizada (93%), coleta de lixo pública (88%) e presença de vetores do tipo pernilongo (55%). Entre os pacientes, 52 eram portadores de feridas crônicas e 41 portadores de feridas agudas. Os antecedentes patológicos mais comuns foram a Hipertensão Arterial - HAS (36%) e Diabetes Mellitus - DM (27%). O local de ocorrência ou aparecimento da lesão foi o hospital em 48% dos casos e a lesão crônica mais comum foi a Úlcera Por Pressão - UP (83%). O sexo predominante foi o masculino, a faixa etária foi entre 50 a 74 anos, a maioria residente em municípios da macrorregião sul, de raça parda, ensino fundamental incompleto, renda de 1 a 3 salários mínimos. Conclui-se que o conhecimento do perfil dos portadores de lesões de pele é essencial para o planejamento e implantação de ações que visem a qualificação da assistência, buscando a integralidade das ações e melhoria das condições de vida desta clientela. Evidencia-se a importância da realização e divulgação de estudos como este a fim de subsidiar a adoção de medidas preventivas adequadas, a realização de educação continuada tanto para os profissionais de saúde quanto para pacientes e familiares/cuidadores.

    Palavras-chave: Ferida. Perfil Epidemiológico.


    1. DEALEY, C. Cuidando de Feridas. Um Guia para a Enfermagem, 3 ed. São Paulo: Atheneu Editora, 2008.
    2. MORAIS, G.F.C. OLIVEIRA, S.H.S. SOARES, M.I.G.O. Avaliação de feridas pelos enfermeiros de instituições hospitalares da rede pública. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, Jan-Mar, v. 17, n. 1, p. 98-105, 2008.
    3. OLIVEIRA, B.G.R.B. LIMA, F.F.S. Perfil sócio-demográfico e clínico de clientes portadores de lesões cutâneas. Online Brazilian Journal of Nursing, v. 6, p. 1-14, 2007.
    Garanta já
    a sua vaga
    QUERO ME
    INSCREVER AGORA
    Compartilhe esse Evento
    PROMOÇÃO E REALIZAÇÃO


    PATROCINADORES

    APOIO CIENTÍFICO

    APOIO INSTITUCIONAL